online

***************










Nome:Má Oliveira
Cidade:Sorocaba - SP



Selena


Links

:: UOL - O melhor conteúdo
:: BOL - E-mail grátis

Votação

Dê nota p/ meu blog >









::Indique esse Blog

24/02/2008 a 01/03/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

Visitas

Créditos



QUERER-TE...
Guida Linhares

 
Querer-te ao meu lado, doce sonho
que a boca da noite faz renascer.
devorando as estrelas suponho,
te vejo entre elas, afoito a correr.
  
Procuras a lua no céu estrelado
e nela tu sabes que podes me achar.
Me banho de prata pra ti meu amado,
que trazes as flores do nosso sonhar.

Querer-te ao meu lado, doce desejo
que o tempo ligeiro vai perpetuar,
nascido de um fascinante enlevo
da minha alma desejosa de amar.
 
Teu querer me trouxe a serenidade
de juntos podermos enfim partilhar
os sonhares grávidos de felicidade,
que os corações estão a fecundar.

::Postado por Má Oliveira às 21h33
::
:: Enviar esta mensagem

Doce revelação
Guida Linhares
 
 
Um dia...
 
Surgido no acaso,
em doce revelação.
  
Os olhos se encontraram.
Os braços ávidos do abraço,
docemente se enlaçaram.
  
E na ternura antiga,
do gostoso encontro,
as ânsias se fundiram,
com emoção incontida.
  
A espera do momento,
tão impossível e desejado,
se fez ao longo do tempo,
em que cada nó foi desatado!
  
Nas falas entrecortadas,
mil palavras a serem ditas!
Teus olhos descobertos,
tua face querida!
  
Descobri em meus elos,
que tu eras a minha vida!
 
E que só te conhecia,
pelos versos singelos,
que me fizestes um dia...
 
surgido no acaso,
em doce revelação.
 

::Postado por Má Oliveira às 21h33
::
:: Enviar esta mensagem

Queria ser Poesia...
Guida Linhares
 
Queria ser Poesia...
vestir-me de singelos versos,
semeando a genuína alegria.
 
Germinar esperanças,
nutrir os afetos verdadeiros,
brincando igual às crianças.
 
Plantar belos sonhos,
realizar os anseios de todos,
fazer os dias mais risonhos.
 
Palavras entrelaçar,
tendo por caminho a felicidade;
tão perto, que tuas mãos irão me alcançar.
 
Santos/SP - 29/12/07

::Postado por Má Oliveira às 21h32
::
:: Enviar esta mensagem

SOU QUASE HUMANA
Guida Linhares
 
 
Rascunho quase perfeito,
nasci do ventre da terra.

Finquei raízes em solo duro,
atravessando as camadas.

Deitei ramos tenros e fortes
entrelaçados em luta solar.

Floresci em delicadas pétalas,
ávidas pela contemplação.

Engravidei e gestei maças;
em seu miolo coloquei estrelas.

Quando os homens
comerem dos meus frutos,
crocantes e adocicados,
sentir-se-ão saciados.

No início dos tempos,
vivi num imenso Paraíso,
onde  fui usada,
como um instrumento da vontade
do meu Supremo Criador.

Assim acabei me tornando,
um símbolo da cristandade,
Bem e Mal entrelaçados,
em mundano pecado dos homens.

Contudo, na Ciência da modernidade,
as pesquisas concluíram,
que em cada célula do meu fruto,
contém o mesmo, perfeito.

Às vezes penso,
que sou quase humana,
porque me sinto importante!

Já sabes que eu sou...uma velha  macieira;
prestes a voltar  ao ventre da terra,
dentro do ciclo da vida.
 
Santos/SP - 11/09/07
 

::Postado por Má Oliveira às 21h30
::
:: Enviar esta mensagem

Da Arte de Ser Feliz
Guida Linhares
 
 
Vinha eu descendo a ladeira
apreciando as flores
e de repente encontrei um menino
perdido entre os amores.
 
Perguntei a ele
porque estava tão triste?
Ele então me disse que estava
cansado de amargar a vida.
 
- Ah, bem respondi... 
- É verdade, disto ninguem gosta
mas pense bem, amorzinho
se a vida não te amargar algumas vezes,
como saberás que és feliz
quando ela te encontrar?
 
- Ela? Disse ele estranhando.
- Ela quem? perguntou de novo.
- A Felicidade, meu anjo,
aquela que todos nós procuramos e
nunca está onde supomos
e ele me disse:
- Já ouvi isso minha senhora,
mas também ouvi que às vezes
está ao nosso lado e não a enxergamos.
 
- Sim meu doce amiguinho,
às vezes não damos o devido valor,
ou
até mesmo não encontramos respostas
que nos levem a considerar
que realmente somos felizes
do jeitinho que estamos. 
 
- Porisso mesmo, é que precisamos da
vida aprender o amargo, o fel
para que possamos discernir quando
a felicidade é nossa
ou apenas é um reflexo na água
e por nos acostumarmos tanto ao reflexo,
pensamos que  somos felizes
e nos contentamos com tudo,
e até choramos muito
se o reflexo nos for arrancado.
 
- Mas eis que de  repente
meu menino esperto,
chega um estrangeiro e nos acena
não com reflexos, mas com certezas,
com a concretude de sentimentos
e a materialização de lindos pensamentos.
 
- E então meu caro amiguinho,
por termos chorado muito e
amargado longas horas de angústia,
conseguimos enxergar que
a felicidade encontra-se no bem querer,
na ternura e no carinho manifestados,
e não numa ilusão enganadora  e cômoda.
 
- Então minha senhora,
quando o passado amoroso foi uma miragem
o que reservará o futuro?
 
- Ah, meu lindo, para o futuro a esperança
de um novo horizonte a despontar a cada dia,
repleto de renovadas alegrias,
a fluir como as águas do rio
que  nunca passam duas vezes no mesmo lugar,
e serpenteiam à procura do mar imenso
da plenitude do viver. 
 
Lá se foi o menino com seu livro debaixo do braço,
onde pude ler,
 enquanto conversava com ele, o seguinte título
 
"Da arte de ser feliz"
 
 
Santos, 23/02/06

::Postado por Má Oliveira às 21h29
::
:: Enviar esta mensagem

 

Voltar a crer no amor...

Guida Linhares

Voltar a crer no amor,
a ter a certeza de que a felicidade
se faz de instantes a dois,
quando nos deixamos levar
livres e leves
por sentimentos amorosos
a invadirem
coração e poros!
 
Voltar a crer no amor,
a sentir o bom de se viver
a dois, alegrando-se ou chorando,
mas não mais sózinho,
agarrado a dias e noites
que passam vagarosos,
entre sonhos dispersos
e ilusões deixadas de lado.
 
Voltar a crer no amor,
quando a maior parte da vida
já passou,
e agora quase ao término,
abrem-se novas portas,
contendo esperanças já amarelecidas,
mas que nos fazem acreditar,
que o melhor do amor
ainda está por chegar!

Santos/SP - 15/07/07

::Postado por Má Oliveira às 21h28
::
:: Enviar esta mensagem

Suaves recordações
de um tempo que não volta mais...
Guida Linhares
 
 
Quando o coração está encantado
com as nuances que a vida empresta..
pouca coisa se precisa para ser feliz.
 
O bom dia alegre do maridão, ao nos acolher com o café quentinho, aromatizando a cozinha.
O filhão que se apronta para a faculdade,
com sua roupa branquíssima e nos dizendo...mãe já vou indo...
E nosso coração pedindo a Deus que o proteja e a nossa fala dizendo....boa aula, meu filho...
Ah...tem o perfume da rosa branca que desabrochou
no nosso jardim, logo cedo.
E por conta da novela "Amas Gêmeas", nosso amado diz: eis a minha rosa luna.
E lá no fundo sabemos de antemão que somos a sua rosa luna, há tantos anos, que até achamos graça.  
E vem a hora do almoço e da cozinha saem mil aromas, originados por várias mãos, que pilotam fogão e panelas, onde são adicionadas muitas pitadas de amor.
E depois, vem as obrigações de fora, cada um toma um rumo diferente, pra depois todo mundo se encontrar.
Então chega a noitinha e com ela o abraço da filha e o sorriso do neto abrindo os braçinhos
e correndo ao nosso encontro.
Ah...delicia, por ele abrimos mão do recreio da net, e depois que ele se vai, leva junto os últimos lampejos do nosso gás...pois ele é energia pura e requer atividade, brincadeira, colo....então encostamos no sofá, ao lado do maridão, assistimos um pouco de televisão, até que a persiana do olhar se feche, para abrir a janela dos sonhos.
E a net...bem há de chegar um momento em que as saudades batem forte, e então delicadamente tocamos a campainha na casa da amizade, entrando pela porta do coração.
O que precisopara ser feliz?
Só isso...e precisa mais???
 
Santos/SP - 16/08/2005

::Postado por Má Oliveira às 21h24
::
:: Enviar esta mensagem

Desencontro de Almas

Guida Linhares
  
Nosso enderêço perdido na eternidade,
dispersado no éter entre nuvens e névoas,
nos manteve afastados todo este tempo,
talvez quem sabe, por um capricho do destino.
 
Vivemos os amores e paixões isolados,
nossos caminhos ainda não se cruzaram,
nem um olhar, nem um simples esbarrão,
que fizesse o atraente contato, o imã sutil. 
 
Continuamos vagando sózinhos em busca
de encontrar tantas respostas que inquietam
o fundo da nossa alma, sentindo-se incompleta
pela falta do amor que une corpo e alma num só.
 
Talvez quem sabe ainda não seja neste tempo,
que nos encontraremos, partilhando momentos
de risos cascateantes e sonhos compartilhados.
Talves nossas almas habitem moradas paralelas.
 Santos/SP - 15/01/08 

::Postado por Má Oliveira às 21h23
::
:: Enviar esta mensagem

Dança nas estrelas
Guida Linhares
 
 
Teu acarinhar amigo
me levou rumo às estrelas.
Teu desejo de me ajudar,
lavou todas as mágoas,
nas águas da solidariedade.
 
Tomaste a minha mão,
fazendo o retorno ao passado,
onde nele revi a trajetória
que me fez entristecer de novo,
relembrando a velha estória.
 
Vestiste o personagem
e dele veio o doce perdão.
Uma suave emoção tomou conta,
num momento tão especial.
Um bálsamo para o coração dividido.
 
A partir de então,
a alma leve como uma pluma,
soltou seu suspiro liberto,
partindo rumo às estrelas,
dançando ao som dos anjos.
 
Obrigado amigo!
Que Deus te cubra
das mais singelas graças.
Talvez quem sabe,
sejas um anjo caido do céu,
que travestido de poeta,
realiza uma sublime missão,
neste planeta azul.
 
Santos/SP - 14/01/08

::Postado por Má Oliveira às 21h22
::
:: Enviar esta mensagem

Águas do amor
Guida Linhares
  
Voce faz todo o encanto,
quando me olha deste jeito.
Seca todo o meu pranto!
És um mágico perfeito.
 
Teus cabelos em desalinho,
soltos assim ao vento,
pedem tanto carinho,
atiçam meu sentimento.
 
E nestas águas onde moro,
serpenteiam as ondas do amor.
Senti um chamado sonoro,
teu olhar desabrochado em flor.
  
Santos/SP - 14/01/08

::Postado por Má Oliveira às 21h21
::
:: Enviar esta mensagem

"VERÃO BEM-VINDO"
Guida Linhares
 
 Nos banhamos nas águas do amor
depois do longo beijo a selar o sonho
testemunhado por conchas e estrelas do mar,
que se aqueciam sob o sol, em seu explendor .
 
Naquele bem-vindo verão ardente.
juntinhos, sentados na areia fofa
foi tanto riso e palavras encantadoras,
que impossível esquecer tudo de repente.
 
Tuas mãos enlaçavam-me docemente.
E a tua boca, de carnudos lábios foi o convite
para a revelação de um mágico momento.
Em teu olhar, a promessa de uma estrela cadente. 
 
Mas as estações se sucedem e termina o verão.
As folhas secas de outono tingem o chão e a alma.
Sentimentos se desencontram, esvaziam-se do encanto
e o frio invernal sepulta sob a neve, mais uma paixão.
 
Santos/SP - 14/01/08

::Postado por Má Oliveira às 21h19
::
:: Enviar esta mensagem

Why Me! /Porque eu!

Why me all the time. / Porque eu todo o tempo.
 
Guida Linhares
 
 
Entregue ao cansaço,
tristonha nesta carapaça,
a visão do passado ainda me domina.
 
Desde sempre,
buscando a beleza,
a bondade, o amor, a alegria,
o compartilhamento de idéias e ideais.
 
Tantos devaneios e quimeras,
ilusões jogadas  ao léu,
tentativas de acertos.
 
Meus olhos pesados,
chamam a doçura do sono,
que embale meus tantos sonhos.
 
Caminhos descobertos,
rotas traçadas,
paralelas, bifurcações.
 
Por que eu?
Porque não segurei o amor?
Porque deixei que partisse?
 
Porque eu todo o tempo.
Porque não ele..o amado,
o homem da minha vida.
 
Porque não segui o seu sonho...
não larguei meu universo,
não lutei o suficiente.
 
Porque num dado momento,
quando já haviam todas as respostas,
Deus veio e fez novas perguntas...
 
Que não consigo mais responder...
Da razão perdi o enderêço,
vagando pelas esquinas da emoção,
de braço dado com a poesia.
 
Sei que bem lá no fundo,
meu coração ainda grita com força:
- eu sei que vou te amar, por toda a minha vida
e a volta tua seria talvez,
a resposta que tanto preciso agora.
 
Mas talvez seja tarde demais.
Nos tornamos pontos ambulantes
num horizonte em desencanto. 
Porque eu! Porque você!
Perdidos e solitários!
 
Santos/SP/Brasil - 13/01/08

::Postado por Má Oliveira às 21h19
::
:: Enviar esta mensagem

MAR DA SAUDADE
Guida Linhares
 
 
-  I Tempo -
 
Quando te sinto triste,
minha maior vontade,
seria estar ao teu lado,
para fazermos da nossa tristeza,
um pacote bem fechado,
jogado no mar da saudade.
 
 
Quando te percebo alegre,
um sol ilumina o meu dia,
E nele, descanso a alma,
porque nela entra a tua alegria.
Do cotidiano sem calma,
ela é o bálsamo que o suaviza.
 
 
Quando te vejo saudoso,
envolto em mil sentimentos,
gostaria que soubesses,
que de todos os lamentos,
o pior seria se sumisses,
levando contigo nossos momentos.
 
 
Quanto me percebo inquieta,
talvez quem sabe, pela distância,
lembro que nos propomos a uma meta,
mergulhando num oceano de ânsias,
em que juntos seguiremos uma reta,
em busca da almejada felicidade.
 
 
- II Tempo -
 
Tua partida trouxe muita tristeza.
Todo meu universo se abalou,
como uma avalanche de neve,
cascateando monte abaixo,
entre mil cristais de lágrimas.
 
Toda a alegria desapareceu
envolta em coloridas bolhas de sabão
espalhadas pelo vento da partida.
A luz da tua presença
que abraçava as horas benditas,
bruxuleou quando a contrariedade
fez calar todos os cânticos
que harmoniosamente entoávamos.
 
Assim, quando a saudade bate forte,
revejo nossos melhores momentos,
de um passado não tão remoto,
quando os sonhos eram comuns,
e a vida um transparente e plácido lago.
 
Hoje a inquietude veio me visitar,
por saber que te sentes solitário
neste canto, onde fechaste a porta
para que eu jamais em tempo algum,
volte a te encontrar de novo.
 
Que faço agora? Talvez neste 
 mar da saudade
eu possa mergulhar meu passado,
e esquecer que muito nos amamos,
e poder voltar à tona inteira,
com o coração renovado,
e o olhar focado no horizonte.
 
Santos/SP/Brasil
2005/2008

::Postado por Má Oliveira às 21h17
::
:: Enviar esta mensagem

Amanhecer poético
Guida Linhares
 
 
Ah! Poeta, o teu amanhecer me chama,
para juntos olharmos as flores do jardim.
Ao ler teus versos, minha alma em derrama,
custou a caber inteira dentro de mim.
 
Talvez seja um querer comum, a beleza
que envolve as criaturas que se afinam,
contemplando a exuberância da natureza,
em perfumes e cores que tanto fascinam.
 
Quem sabe o olhar do poeta mais aguçado,
deitando em versos, a emoção primaveril,
consiga rejuvenescer o coração machucado,
roçando nas palavras, tal qual um esmeril.
 
E nesta primavera renascendo forte o amor,
em seus cálidos contornos e sutís sensações,
 seja a ternura suave como as pétalas de uma flor,
 enternecendo a alma, na mais bela das estações. 

::Postado por Má Oliveira às 21h16
::
:: Enviar esta mensagem