online

***************










Nome:Má Oliveira
Cidade:Sorocaba - SP



Selena


Links

:: UOL - O melhor conteúdo
:: BOL - E-mail grátis

Votação

Dê nota p/ meu blog >









::Indique esse Blog

24/02/2008 a 01/03/2008

13/01/2008 a 19/01/2008

06/01/2008 a 12/01/2008

18/11/2007 a 24/11/2007

11/11/2007 a 17/11/2007

Visitas

Créditos



ACREDITAR...
Guida Linhares
 
Acreditar num sonho impossível,
ver a vida com olhos de bem querer,
sentir que o amor esta chegando.
 
Tudo nos leva a viver com alegria,
e desejar que o mundo seja completo,
e que todos encontrem a sua paz.
 
Sempre o amor nos leva
a um estado de espírito elevado,
em que tudo adquire cores mais fortes.
 
Assim quando a desconfiança se instala,
é como se mil espinhos ferissem,
a lira do amor não mais cantada.
 
Chora o coração antes alegre,
pois que bebeu da vida a taça de mel,
na sofreguidão dos devaneios anelados.
 
Eis que surge o delicado momento,
em que o remédio amargo transparece,
e sorve o coração ferido, a ultima gota de fel.
 
Acreditar que voce pudesse ser,
o amado amante que me levasse aos céus,
foi mais uma armadilha da teia das ilusões.
 
Espero sobreviver a mais esta partida
do imenso jogo de xadrez da vida.
Quem sabe um dia, o amor ainda bate à minha porta.
 
Mas de uma coisa tenho certeza,
foi a mais bela aventura a que vivi contigo,
e vou guardar apenas os momentos sublimes.
 
Para que a minha alma não chore mais,
e o meu coração não perca o rumo,
para que eu volte a acreditar.
 
Acreditar na força do viver,
acreditar que tudo vale a pena,
acreditar que um dia voce me amou!
 
Mesmo que voce não saiba ainda,
ou talvez não saiba nunca,
senti o amor chegando, em via de duas mãos.
 
Mas voce se deixou levar pela tua natureza,
de homem liberto e visionário
e não me pareceu transparente.
 
E o amor não sobrevive na opacidade,
não se fundamenta em discursos teóricos,
ele precisa de luz e cumplicidade dos amantes.
 
Assim fica difícil de acreditar,
que um dia possamos ser felizes juntos,
porquanto nosso caminhar está sendo paralelo.
 
Se tudo o que voce deseja
é a minha amizade duradoura,
que ela seja então um frágil elo a nos ligar.
 
Pois acima de tudo vale a minha palavra,
aquela que te dei no início,
de que sempre continuaríamos amigos.
 
Mas sei que vai ser difícil,
manter a nossa relação nestes termos,
porquanto eu me apaixonei por você.
 
Lutei tanto contra este sentimento,
meu coração me avisava que não ia dar certo,
e agora enxergo amargamente a verdade.
 
Que voce não sabe se me ama,
que voce partiu pra bem distante,
sem me dar a chance de estar contigo.
 
Desejo felicidades no teu futuro,
que voce possa encontrar o puro amor,
e nele perceber o maior tesouro do coração.
 
Minha gratidão eterna,
pelo apoio e ombro amigo que voce sempre foi,
ainda que agora eu precise seguir completamente só...
 
Minha caminhada em busca do nada,
principia onde a tua já transcorre,
em busca do teu lugar ao sol.
 
Pena que não veremos o seu nascer,
abraçados um ao outro,
pois nosso amor anoiteceu antes do tempo.

Santos, SP
03/10/06

::Postado por Má Oliveira às 10h15
::
:: Enviar esta mensagem

Traição!
Guida Linhares


No espelho da consciência,
a traição tem o peso da rocha,
ainda que o arrependimento
do ato, acenda uma tocha!
 
Santos/SP - 07/10/07

::Postado por Má Oliveira às 10h14
::
:: Enviar esta mensagem

O Palhaço
Guida Linhares
 
Figura mágica que encanta
a todos com suas estrepulias,
vestido com trajes de folia,
espantando a tristeza do dia.
 
Hoje tem marmelada sim senhor,
num lúdico brincar a vida gira,
o palhaço adoça o amargor da vida,
representando no palco a alegria.
 
No entanto, quando as luzes apagam
e em seu camarim, ele retira a pintura,
sua boca apresenta o sulco do amargor,
e seus olhos tristes guardam rancor.
 
Na saudade da mulher amada que fugiu
com o trapezista que era mais bonito,
chora o palhaço a dor das saudades,
e da amargura de ter sido abandonado.
 
Santos/SP
12/03/07

::Postado por Má Oliveira às 10h13
::
:: Enviar esta mensagem

Borboletas caidas

Guida Linhares


Por que paraste de voar
conforme a tua natureza
em anseios de liberdade
quando visitas as flores

Por tua asa estar ferida
tu morrestes muito cedo
pisada no meio da praça
abandonada e insepulta

Mas os olhos de um poeta
sofrido e observador
te recolheu do chão com zelo
e carinhosamente te aninhou
nas paginas do seu caderno

Hoje ressuscitaste na
minha frágil lembrança
de um tempo que não volta mais
porque haverá tantas outras
borboletas a merecerem a ternura
que habita a mente dos
menestréis da vida e do amor,
sempre em deleites e mil venturas.

Santos, SP
12.04.06

::Postado por Má Oliveira às 10h12
::
:: Enviar esta mensagem

MAR DE SAUDADES
Guida Linhares
  
Quando te sinto triste,
minha maior vontade,
seria estar ao teu lado,
para fazermos da nossa tristeza,
um pacote bem fechado,
jogado no mar da saudade.
 
 
Quando te percebo alegre,
um sol ilumina o meu dia,
E nele, descanso a alma,
porque nela entra a tua alegria.
Do cotidiano sem calma,
ela é o bálsamo que o suaviza.
 
 
Quando te vejo saudoso,
envolto em mil sentimentos,
gostaria que soubesses,
que de todos os lamentos,
o pior seria se sumisses,
levando contigo nossos momentos.
 
 
Quanto me percebo inquieta,
talvez quem sabe, pela distância,
lembro que nos propomos a uma meta,
mergulhando num oceano de ânsias,
em que juntos seguiremos uma reta,
em busca da almejada felicidade.
 
Santos/SP
20/03/07

::Postado por Má Oliveira às 10h10
::
:: Enviar esta mensagem

Desencontro
Guida Linhares

Eu sou aquele que te espera
desde tempos imemoriais.
Vivo neste espaço de estrelas
a te buscar nas esferas celestiais.

Mas agora lendo teu XXI soneto,
consegui finalmente te encontrar.
Procurava-te na via Láctea,
mas agora sei que és do mar.

E será nele que te acharei,
mergulhada nas ondas bailarinas,
banhando teu cálido corpo,
aos beijos do sol que fascinas.

Busco-te minha gêmea alma,
pois de mim tu mesma fugiste,
querias a infinita liberdade
abrindo tuas longas asas, partiste.

Com o coração em frangalhos,
eu te vi partir e não podia jamais
interferir em teu livre arbítrio,
por mais que os sonhos fossem reais.

Por séculos e séculos vaguei sozinho,
com todas as memórias que restaram,
na esperança de que o tempo aproximasse,
as duas metades que se desencontraram.

E agora projetado numa telinha,
vejo teu nome amado brilhando forte,
entre numerosos pontinhos luminosos,
um farol amoroso a me indicar o norte .

Santos/SP
09/04/07

::Postado por Má Oliveira às 10h07
::
:: Enviar esta mensagem

Antipatia do Santinho

Guida Linhares

 
Meu "quiridu" Santu Antonio

Venhu aqui ti arrespondê

qui simpatia tua num façu mai,

pois oce veiu cum antipatia

pra cima di eu!

Todu anu façu uma e adespois

veju qui deu erradu!

A úrtima pra garrá maridu ricu

fiz tudu tudu direitinhu.

A imagem tua piquininha

carreguei nu meu pescoçu

i inté dissi quandu comprei,

comu manda a simpatia,

qui só gostava di oce

piquininho pra zouvir

us meus sinplis pididinhus.

Qui quiria mesa di fartura

e inté comprei tumem

a garrafa di vinhu du padre

inda as seti tasa pru vinhu

i u maió pão qui axei.

Cunvidei as seti pessoas

i reparti o pão cum as mão

i tomemu tudo u vino

 agradecenu a Jesus Cristinho.

Tudinho qui sobrô

os pobre da rua si regalô,

inté aquele morenu di zóio azul,

qui num gosta di trabaio,

aí danô!

Purque os zóios dele faiscava

mai qui a labareda da foguera

i foi uma incendiada só,

qui num sobro nem a imagem

piquininha pindurada no pescoçu.

Eli quiria amarrá meu coração

i inté mi confessô

qui ti pidiu uma muié rica..

Arre meu santinho ...qui oce mangô cumigu;

mai na procima festansa vo apelá

pra São João, inté memo pra Sun Pedro,

mai oce fiqui sucegado, num ti peçu mai não!

Eicha, antipatia braba!

::Postado por Má Oliveira às 10h06
::
:: Enviar esta mensagem

Desejo Doce 
 Guida Linhares
 
 Um desejo doce
 
de  mim se apodera
 
ganhar um beijo
 
ah, quem me dera.
 
 Deitada na relva
 
estou a sonhar
 
com a madresselva
 
deste lindo lugar.
 
 E os passarinhos
 
alegres em farra
 
voltam aos seus ninhos
 
com muita algazarra.
 
 
Desejo ser  princesa
 
não fugitiva
 
do abraço apertado
 
serei cativa
 
do beijo molhado
 
na recidiva.
 
 Em teus olhos
 
vi a ternura
 
despida
 
toda a candura
 
envolvida
 
a emoção desperta
 
na gostosura
 
consentida.
 
De teu corpo forte
 
guardo o perfume
 
de viril consorte
 
pleno de lume
 
de sul a norte
 
e não estás
 
incólume.
 
Neste doce desejo
 
que enfim rolou
 
não sinto nenhum pejo
 
pois com fome estou
 
de teu sutil manejo
 
que me conquistou. 

::Postado por Má Oliveira às 18h04
::
:: Enviar esta mensagem